SABOR DE MABOQUE - NDAPANDULA MAMA ÁFRICA

SABOR DE MABOQUE - NDAPANDULA MAMA ÁFRICA

domingo, 7 de março de 2010

Mais uma emoção I

Livraria Saraiva/Shopping Iguatemi Campinas-06/03/2010 (clique na foto p/ ampliar)

.......
.
.......


Entre os mais vendidos da semana!


Com lágrimas nos olhos e a garganta estrangulada pela contenção da emoção frente a inúmeros frequentadores em plena tarde de sábado, tentei por várias vezes reler a placa que coroava a gondola principal na entrada da Livraria Saraiva no Shopping Iguatemi de Campinas, até me certificar de que... sim não era sonho, nem miragem, era real...Sabor de Maboque foi uma das obras mais vendidas naquela livraria, na vigésima semana após o seu lançamento...
.......
.
.......

22 comentários:

  1. Dulce, ainda bem que, desde o começo, eu falei que era uma obra muito bem escrita, que suscitava empolgação e, vontade de quero mais. Prepare-se para novas emoções e, para o segundo volume. Saudades. Um carinhoso beijo amigo.
    Odair Alonso

    ResponderExcluir
  2. Olá Odair
    E que venham novas emoções..mas devagar, para que possa degustá-las sem desperdicio! bj

    ResponderExcluir
  3. Dulce
    Que coisa maravilhosa! Você e sua obra merecem! Parabéns
    beijo
    Fer

    ResponderExcluir
  4. Um beijo de além mar...de parabéns, pois então :))

    **

    ResponderExcluir
  5. Pois então...muito obrigada Espumante!:))***

    ResponderExcluir
  6. Tá certo que o teu marido até bate uma bola bem, ou batia. Que mais terá em comum o livro da mulher do Garrincha para estar ao lado do Sabor de Maboque?

    ResponderExcluir
  7. Anônimo
    É cria de Muxima...mas ainda é só uma das pequenas vitórias!

    ResponderExcluir

  8. Da próxima vez que lá for, vou perguntar se existe algum critério de exposição nessa prateleira, mas acredito que os dotes dos conjuges não devem ser levados em conta!:)))
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Ai wé, Campião! Sessenta mili conto!

    ResponderExcluir
  10. Olá Dulce
    os meus parabéns pelas vendas do seu livro.o seu testemunho veio despertar muitas emoçoes e sentimentos que estavam guardadinhos nos nossos corações.Quem sabe, um dia alguem terá a coragem de fazer um documentário televisivo
    sobre a nossa saída forçada.
    beijinhos
    chinesinha(sou amiga da Tina)

    ResponderExcluir
  11. Que prazer recebe-la aqui Chinesinha!
    Imaginava que alguém já tivesse, aí em Portugal, feito esse tipo de documentário!
    Bj grande e volte sempre

    ResponderExcluir
  12. Sem conjuge nunca ali estaria nenhum dos livros. O Braga me deve uma cerveja no Mercadinho Campineiro.

    ResponderExcluir
  13. Aka,Je Jé! Num faz buzação com patroa!
    Ela està mesmo nas roncada e pontapé na bola agora é com ela meismo!
    Se você quer cerveja é uma coisa, pode ir até beber junto com marido dela, mas não esparata assim, cuidadoé, vai levar muxoxo...!
    Ela sempre teve esperto no cabeça dela, quem escreveu foi ela meismo...!

    ResponderExcluir
  14. Oh Anónimo,
    olha lá pá!
    O Sabor de Maboque ultrapassa a trapaça da Elza Soares e seus promotores mais os muitos promotores que julgam Garrinchas da vida sob o olhar mecânico da ciência exata e o olhar técnico da lei.
    Foi ela que escreveu mesmo.
    Nós é que estamos a ler mal o que vem da alma e a ler bem o que é fuxico. Algo como se ter tratado Garrincha como um bêbedo julgado inútil, termos largado o gajo das pernas tortas às mãos de cientistas de meia tijela que lhe impuseram uma depêndencia química de interesse dos laboratórios farmaceuticos, e, termos obrigado um cara íntegro a morrer entre a dúvida de ser corno e a injustiça de lhe terem ofuscado a glória de ter personificado o "imponderável" em campo.
    Referências oculares qu'os pensamento indica é o Kafeco que canta bem, Tostão e Nelson Rodrigues.

    ResponderExcluir
  15. José Maria Valadares27 de abril de 2010 18:35

    Dulce!!! Morei em Silva Porto de 1946 a 50, perto da casa do Bispo, não londe do "Colégio das Madres" Fui ao lançamento e gostei muito de ler o "Sabor de Maboque" Parabéns.
    José Maria Valadares

    ResponderExcluir
  16. olá amiga Dulce...sou a Sara Pereira, angolana de Sa-Dá Bandeira,onde tenho trancado dentro de meu coraçao todas emoçoes que vivi em nosso amado país.Aos meus 11 anos meus pais com a roupa do corpo atravessaram um oceano para salvar suas 3 filhas...nossas historias sao mt parecidas,ainda nao comprei seu livro, tenho medo de le-lo...soube dele atraves do programa da maravilhosa Ana Maria Braga.te confesso querida que meu coraçao nao permite que leia seu livro, pois minhas lagrimas sao de sangue...hoje aos 43 anos ainda tenho lembranças muito nitidas,...SA-DA BANBEIRA...BENGUELA...KACULA...LUANDA...de suas belezas...brincadeiras...cheiros...alegrias...e de muito sangue...Gostaria muito de lhe conhecer,até quem sabe voltarmos ao nosso país, pois acredito que meu, teu ciclo ainda não fechou...um grande bju no seu coraçao,recheado com muitas saudades de nossa tao querida ANGOLA...

    ResponderExcluir