SABOR DE MABOQUE - NDAPANDULA MAMA ÁFRICA

SABOR DE MABOQUE - NDAPANDULA MAMA ÁFRICA

domingo, 22 de agosto de 2010

Que Domingo !





*

Trocar o som irritante do despertador por um: -tia Dulce “tô” com fome, foi especialmente agradável.
Dois filhos com mais de duas dezenas de aniversários comemorados e eu já tinha esquecido como é bom sentar na mesa do café da manhã e ter alguém que reivindica o miolo do meu pão com uma grossa camada de requeijão e pede um leitinho morno, sutilmente adoçado e generosamente achocolatado, coisas tão simples, mas que fui retirando da rotina e da dieta matinal, simplesmente porque não tenho mais crianças em casa.
A quebra da repetição monótona das manhãs de domingo veio logo depois com o “banho” de protetor solar e os bonés com que enfrentamos a previsão metereologica do dia: máxima de 34º, céu de brigadeiro e baixa umidade atmosférica.
Obrigada Gabriel pela companhia na caminhada, por me fazer redescobrir a beleza do Parque Portugal, pelas pedaladas vigorosas com que me ajudou a deslizar nosso cisne pela lagoa, pelo controle firme no leme quando atracamos, pela aula de “pokemons”, pela sua alegria de criança feliz...
*
*****
*

16 comentários:

  1. Dulce
    Eu vou pelo menos 2 vezes por semana lá. É muito gostoso mesmo, mas pedalinho há muitos anos que não me atrevo. beijo
    Irene

    ResponderExcluir
  2. em viagens, passeios e reencontros... é a vida se renovando. Abraços

    ResponderExcluir
  3. Eduardo de Santhiago23 de agosto de 2010 19:11

    Que delícia, tia Dulce!!!

    ResponderExcluir
  4. Que lindo mãe!! ;). Consegui imaginar a voz docinha do Biel te acordando, que delícia! Beijinhos, Gabi.

    ResponderExcluir
  5. Já uma vez o disse. A Dulce tem o condão raro de dizer coisas bonitas usando a expressão mais genuína dos nossos sentimentos ou da reserva crítica ao mundo que nos rodeia – a simplicidade. Foi assim no seu «Sabor de Maboque», é assim em muitos dos seus posts. Por vezes, duas linhas a descrever um bem-te-vi comendo no jardim do seu quintal encerram, na sua simplicidade, verdadeiros hinos de beleza impregnados de saudosismo, beleza interior, recordações calmas e consoladoras que emanam uma grande ternura pela paisagem social e humana que a rodeiam.

    Este «Jardim Portugal», teve a fortuna de ser visitado pela Dulce, embevecida com simplicidade pelo seu sobrinho que acordou com fome a pedir requeijão e, enfeitado pela beleza simples das suas palavras e do seu sentimento, serviu de mote a um dos mais simples e belos posts do Sabor de Maboque.

    Nota: Guerra Junqueiro, notabilizado pela sua obra, entre outras, «Os simples», foi homenageado em Lisboa vendo o Jardim da Estrela dar-lhe o seu nome. Um jardim bonito de simples e simplesmente magnífico.
    ***

    ResponderExcluir
  6. Isso é que foi um dia bem passado =)

    **

    ResponderExcluir
  7. Fiquei com vontade de saber se já nasceram os passarinhos...
    Bom regresso e muitos posts gostosos!

    ResponderExcluir
  8. Irene
    Qdo meu sobrinho me convidou para os pedalinhos cheguei a titubiar...mas ainda bem que não dei pra trás, foi mesmo delicioso.
    Beijão

    ResponderExcluir
  9. E se reinventando Patissa! Sucesso para sua nova cria! bjs

    ResponderExcluir
  10. Delicia mesmo Du...saudade de você!Beijão

    ResponderExcluir
  11. Gabi
    Estou treinando pra ser vó!:)))bjssss

    ResponderExcluir
  12. Espumante
    Em jardins simplesmente magníficos se pode ser magnificamente feliz!*

    ResponderExcluir
  13. Foi mesmo Marisa! Obrigada pela sua visita.Volte sempre!

    ResponderExcluir
  14. Dreamer
    Demorei tanto para responder seu comentário, que quase já deu tempo de lá ter outra "ninhada":)))
    O ninho já está vazio e seus ex inquilinos certamente andam às voltas nos galhos da amoreira repleta de deliciosos frutos.

    ResponderExcluir