SABOR DE MABOQUE - NDAPANDULA MAMA ÁFRICA

SABOR DE MABOQUE - NDAPANDULA MAMA ÁFRICA

domingo, 23 de maio de 2010

Mais Você


.......
.
.......
Quarta feira (26/05) eu e o Sabor de Maboque, estaremos no "Mais Você" da Ana Maria Braga
.......
.
.......

64 comentários:

  1. Há momentos na vida em que a vaidade se torna um sentimento mais nobre e virtuoso que o orgulho. Porque é um sentimento que releva das pequeninas fragilidades do nosso ego, sempre que este se compraz com os feitos e vitórias alcançados. E porque é um sentimento próprio, nosso, gerado numa dinâmica própria de sucesso, sem necessidade do relativismo de comparação. Ao contrário do orgulho que precisa quase sempre de um plano comparativo junto, do qual ele se sente superior. Por isso, por vezes, a vaidade é um sentimento puro. E tu tens muitas razões para te sentires vaidosa, no caso em apreço. Tal qual aqueles que gostem de ti. Boa viagem, Dulce... e arrasa :))) **

    ResponderExcluir
  2. Hei amiga, quarta de manhã estarei grudada na TV !
    Boa sorte
    beijos
    Irene

    ResponderExcluir
  3. Espumante,
    há que tomar cuidado, porque o ego inflado é quase sempre um péssimo conselheiro, mas neste momento estou lhe cedendo um pouco de espaço sim!
    Obrigada pela torcida!!!:)))*

    ResponderExcluir
  4. Olá, gostaria de saber aonde encontro o seu livro. Os meus sogros viveram a mesma história que vc, saíram de Angola durante a guerra e reconstruíram suas vidas no Brasil. Meu e-mail é gcmc21@hotmail.com

    ResponderExcluir
  5. Dulce,
    Sua historia me emocionou e me prendeu ao programa, tanto que vou chegar atrasada ao trabalho :)
    Parabéns!
    abç
    Mara

    ResponderExcluir
  6. Estou assistindo o programa Mais Você, vendo e ouvindo sua história. Aguardando, juntamente como todo mundo, que tipo de surpresa a Ana trará, agora, depois do intervalo.
    Adorei conhecê-la! sua emoção ao relatar sua vida, me deixou emocionada tb!
    Ouvir seu pai falando como leu seu livro tb foi demais!

    ResponderExcluir
  7. Eu tambem estou grudada na TV Dulce voce está linda acabou de um abraço lindo em sua amiga Paula, menina que história fantastica, voces todas são um exemplo de vida de força de luta para todas nós.
    Parabens
    Leocadia

    ResponderExcluir
  8. Nossa! estou impressionado... Bom primeiro preciso me apresentar; meu nome é Sandrik Simão, sou professor de geografia no Rio de Janeiro, e ao passar pela tv agora, me deparei com sua história, não só por se tratar de um assunto específico da ciência geográfica, mas principalmente pelo seu encanto em conta-la.
    Estou vendo você e a Paula agora na tv e não consigo parar de pensar no carinho que vc depositou nesse trabalho.
    Bom como já está quase na hora de sair para o trabalho, vou mais cedo para procurar o livro.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  9. Vendo o programa Mais Você, neste momento, louvo a Deus por tua vida. Sua história é triste, mas hoje brilha como o seu sorriso. Não sabia de seu livro. Será minha próxima aquisição. Um abraço,
    Edilson.

    ResponderExcluir
  10. Ah! outra coisa... se não for muito atrevimento, coloque uma outra foto mais de pertinho, você é tão linda e poderia nos presentear com essa beleza.

    ResponderExcluir
  11. Foi impressao minha ou os maboques levados ao programa não eram para ter o fim que tiveram?
    Adorei a sua historia, a tempos que não via algo tão bom no Mais Voce!

    ResponderExcluir
  12. Dulce vi sua reportagem na Ana e sobre o maboqui no sítio de um colega meu aqui mesmo em campinas tem uma fruta que ninguém sabe o nome eu comi e bem parecida com o seu maboqui só que a arvore ainda e pequena e os frutos Tambem se vc quiser dar uma olhada me lique Hugo Perego 19 78070727 hperego@ig.com.br

    ResponderExcluir
  13. Hey Dear,
    Meu nome é Paulo Henrique, tenho 17 anos,estou cursando o ultimo ano do ensino medio, me preparando para os vestibulares da vida, e, não fui a aula hoje, por um certo desanimo indescritivel , e então pude assistir o Mais Voce. e confesso indubitavelmente , que fiquei maravilhado com a seu livro. e acabei de compra-lo. obrigado por contribuir com a sua historia, emoções, verdades, e, cultura a flor da pele, tudo que um brasileiro gosta de ver .

    g.omez@ymail.com

    ResponderExcluir
  14. Dulce, há muito não conhecia uma pessoa tão sensacional. Valeu a pena ter tido problemas hoje e ter faltado ao trabalho. Consegui comprar seu livro na Livraria da Travessa, em 3 dias me entregam e não vejo a hora. Parabéns pela pessoa que você é. Beijo grande, Úrsula Hummel - SP/SP

    ResponderExcluir
  15. Adorei sua historia, sei que n é facil lidar com algo que foi paralisado, portanto vc conseguiu n somente tratar seu interior como mostrar as pessoas que qdo temos determinação e coragem isso pode acontecer.
    Adorei o depoimento de seu pai, e a frase q sua mãe usou para dizer o que é ser rico foi profundo, leve o meu abraço a eles pois enqto vc contava a historia eu conseguia visualizar a cena, emocionante.
    Gostaria muito de ler o livro, e tomo a liberdade de lhe soloicitar um exemplar.
    obrigada

    ResponderExcluir
  16. Por algum motivo, eu e minha família nunca soubemos da existência do livro "Sabor de Maboque". Não vimos aquele programa do Faustão onde ele fez o anúncio do lançamento do livro. Hoje, ao assistir ao programa "Mais Você" é que tive a oportunidade de ouvir falar. Quero lê-lo. Não é a minha história que encontrarei lá. Com certeza, encontrarei a história da família do meu pai, que como você, nos contava partes de sua vivência em Luanda. Raras vezes revelava cenas das dificuldades e tristezas, em especial a morte de dois irmãos, um de acidente de carro e outro assassinado numa emboscada. Meu pai e meus tios serviram o exército em Angola e nenhum deles gosta de falar sobre isso, pois é muito difícil para eles. Também perderam tudo o que tinham em Angola, foram para Portugal e de lá vieram para o Brasil. Meu pai faleceu ano passado antes de saber que alguém escreveu sua história, mas faço questão de mantê-la viva, não pelas marcas que ficaram, mas pela coragem de quem perdeu tudo, reconstruir sua vida. Obrigada por essa oportunidade! Ana Cristina. (anacrispbn@gmail.com)

    ResponderExcluir
  17. Acabei de ver sua linda história no Mais Você. Fiquei encantada e estou louca para ler o livro. Que bom que hoje vc e sua família estão bem e felizes... Um grande abraço a vc, seus pais e que Deus continue abençoando toda sua família.

    ResponderExcluir
  18. dulce sou de timbaúba pernambuco, assisti você hoje de manhâ.
    olha parabéns por essa história triste que está tendo um final tão feliz.

    ResponderExcluir
  19. Olá Dulce amei sua história, é lindaaa
    Vou correndo comprar o livro!
    E Ana Maria tem razão, você é linda tanto por fora quanto por dentro! Uma simpatia de pessoa, adorei conhecer você, mesmo pela televisão!
    Deus te abençõe muitoo, que seja muito iluminada por Ele, e sua família também, Deus esteja sempre com todos. A propósito sua família é linda! Parabéns...
    Bjo grande.
    ps: Sou de Piracicaba e nunca imaginei que uma história e uma pessoa tão linda estivesse tão perto de mim.

    ResponderExcluir
  20. Acabei de ver você na Ana Maria e te achei fantástica, forte, guerreira. Nós brasileiros, que nascemos aqui, não sabemos o que são esses horrores. Que bom que vc teve força suficiente para reconstruir sua vida e hoje, tornar-se uma escritora.
    Me identifiquei demais com vc, principalmente na parte sobre a "encubação de escritora". Comigo aconteceu a mesma coisa, mas por outros motivos. Hoje, acabo de escrever meu primeiro livro, que fala exatamente de mulheres guerreiras como você.
    Continue e nos ensine com suas histórias.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  21. Olá Dulce.
    Quanta alegria. Até quando tem vontade de chorar você está sorrindo. Quanta alegria.
    Vi a reportagem na Ana Maria Braga e me emocionei com sua história e de tantos outros.
    Se eu fosse escrever um livro sobre a trajetória de vida da minha família eu me espelharia em você.
    Um grande beijo e obrigado por tanta emoção.

    Denilson Matteucci

    ResponderExcluir
  22. Olá Dulce, td bem?Vi vc no mais você,parabéns vc é linda viu,amei saber da sua história,estou loica pra ler seu livro.Parabéns viu,vim te convidar pra conhecer meu blog viu...passa lá pra vc me conhecer...bjosss Felicidades!!!!

    ResponderExcluir
  23. Oi Dulce!
    Acabei de ver sua entrevista no Mais Você, fiquei muito emocionada, chorando sozinha em casa, coisa de mulher né..rs
    Parabéns por essa garra, parabéns pela sua coragem em trazer a tona uma estória que te machucava! Sucesso! Quero muito ler o livro, não vejo a hora!

    Nubia Brito
    binha_brito@hotmail.com
    Bjs!

    ResponderExcluir
  24. Assisti ao mais vc e fiquei encantada com a Dulce moro em Paraty e conheço vários angolanos a maioria de Lobito, são pessoas maravilhosas que refizeram sua história no Brasil. Parabéns pela sua coragem. Vivi Cruz.
    vividavi1@bol.com.br

    ResponderExcluir
  25. Quem me dera poder ter agora o sabor de tão delicioso fruto como nos tempos em que vivi em Angola, sou do Lobito e vivo em Portugal-Açores e gostaria de poder adquirir o seu livro por favor diga-me como poderei fazer, o meu email é:
    ahlobito@hotmail.com
    Parabéns e sucesso
    Abílio

    ResponderExcluir
  26. Ola Dulce,acabei de ve-la no programa da ana,adorei sua história. Como a ana disse,vc erradia uma luz incrivel,não só vc mas toda a sua familia,seus pais,seus filhos,esposo e tenho certeza que essa luz contagia todos que estão a sua volta,não pude deixar de perceber o sorriso que todos vcs estampam no rosto,mesmo qndo relembram os momentos tristes pelo qual passaram,vou correndo comprar o livro.Um grande bjo do seu mais novo fã,a vc e a toda a sua familia.

    ResponderExcluir
  27. Prezada Dulce,fiquei bastante comovida com a tua historia afinal de contas ,eu tambem sou do kuito e como tu e a paula pires desde cedo sai do bie aos 4 anos de idade indo para suica,grao-bretania e cuba e hoje estou ha 11 anos no rio de janeiro a trabalhar como medica-cardiologista,e a ultima vez que la estive foi em fevereiro de 2008 se nao te importares te enviarei fotos dessa epoca ate porque ,fui a kamacupa,kunge , visitei o hospital do voga,a cachingues aonde nasci ,nunca fui ,mais penso la ir...devo dizer-te que a viagem de 2oo8 foi mas animadora que a de 1995 a quando da desruicao total daquela silva porto linda e florida,sem mais o jardim pouca vergonha e aonde a rua principal e a igreja catolica e casas a redor confundiam-se com um enorme cemiterio a seu aberto aonde as pessoas apontavam-te aqui esta enterrado cicrano e beltrano...enfim me perdi ,o que e normal,mais gostaria de a poder conhecer pessoalmente para dar-lhe um abarco bem afagado e podemos falar mais sobre o bie ,e o que podemos fazer por ele....Parabens pelo Livro ,vou procura-lo para te-lo...bjosssssssss ,Maria.

    ResponderExcluir
  28. Olá Dulce, não consegui ver toda a sua história no Mais Você, pq tenho uma bebê pequena que estava querendo atenção no momento, mas o pouco que consegui ver, me pareceu bastante com a história da minha mãe e dos meus avós que também vieram pro Brasil de uma forma parecida com a sua, a única diferença, é que eles não conseguiram trazer diamantes...Minha mãe, está tentando reencontrar pessoas que viveram em Angola para resolver um problema de família, se vc puder me add no msn, poderei contar à vc mais detalhadamente!! Parabéns pelo sucesso, um grande beijo, Aline Carvalho(alinecristinacarvalho@hotmail.com)

    ResponderExcluir
  29. estou com visita e justamente no horario do programa danaram a conversar e eu nao pude prestar atençao na entrevista, ouvi somente o comentario da Ana Maria e me despertou interresse, gostaria de rever a entrevista, e possivel.bjs

    ResponderExcluir
  30. Acabei de ver a Dulce, com seu Sabor de Maboque, no MAIS VOCÊ e, com o não poderia deixar de ser, me emocionei ante os relatos de seu drama em Angola...ainda bem que o Brasil acolheu essa família de braços abertos. Quero comprar e ler o livro. A Dulce pretende retornar a sua terra, para ajudar, de alguma maneira, na restauração do que restou. Parabéns, Dulce! Seja feliz e siga em frente!

    Sebastiana Gaíva. www.sebastianagaiva.blogspot.com

    ResponderExcluir
  31. Dulce a vi no programa da Ana Maria ,tambem sou uma maria, com uma Historia de vida recheada de percas e ganhos,que herdamos da guerra no Bie,pos tambem sou de la -sou medica e resido ha muitos anos no RJ,mais ainda tenho parentes e amigos que resistiram a toda essa guerra que vivem la e tenho contacto com os mesmos,pois as algumas coisas vao voltando ao ritmo normal e natural da vida,adorei o Maboque(aponlem)em umbundu dialeto da provincia nao sei se sabes falar umbundu!!!! e gostaria de a conhecer pessoalmente,para cumprimenta-la

    ResponderExcluir
  32. Acabei de ver, no MAIS VOCÊ, a matéria sobre Sabor de Maboque, da Dulce, levando-me à emoção com o drama sofrido por ela e toda a sua gente na Angola, antes de se instalar no Brasil.Quero adquirir o livro. Aplausos à Dulce pelo seu propósito de retornar ao seu país, como colaboradora na restauração daquilo que foi destruído pela guerra! Parabéns, Dulce e seja feliz!
    sebastianagaíva.blogspot.com

    ResponderExcluir
  33. Oi, minha linda, eu sabia que seria um sucesso.
    Parabéns!!! Não te falei que o Louro José ia ficar "gamadinho"?
    O que eu possa acrescentar sem ser repetitiva? Obrigada, mais uma vez, pela "catarse coletiva angolana"!!! Tua entrevista colocou Angola definitivamente no mapa, mais do que qualquer reportagem que tenha sido feita sobre a nossa terra até agora. A propósito: não poderia imaginar melhor postura/ semblante: simplesmente maravilhosa.
    PS.: quer dizer que o Kim terá que colher outro maboque para substituir o que a Ana Maria "sacrificou"? Tá bom, já foi encomendado. Parabéns, parabéns. Mil beijos.

    ResponderExcluir
  34. Adorei sua triste, mas linda história de vida, de sobrevivência, de coragem...vou comprar o livro. E parabéns pelo seu sorriso. Ele transmite coisas muito boas de vc. Um sorriso desses só pode ser de pessoa vencedora. Um abraço Julia.

    ResponderExcluir
  35. ...estava eu, mais um dia me arrumando para ir abrir minha loja... assistindo Ana Maria, vi uma reportagem com Dulce... Tavares... não me lembrava desse nome... mas a pessoa era familiar... Quando disseram Dulce Braga!!! Me veio logo a mente: Dulce da Way Up! Nossa, parece que foi ontem mesmo, em 1994,em sua loja, fazendo a parte financeira - substituindo a Roberta- , com Marcelo dormindo no sofa assistindo desenhos e a Gabriela chegando do colegio na hora do almoço!!! Eu Katia Green, lembrei como se passasse um filme em minha cabeça. Fiquei la poucos meses, mais o suficiente para lembrar!!!
    Fiquei imensamente feliz em reencontra-la, mesmo que de longe - e tão perto!!
    E realmente, naquela epoca vc nao deixava transparecer nada de sua vida, nada do que tinha passado, vc sempre tinha um sorriso no rosto.
    Parabens!!!!!
    Katia Green
    katiagreen@ig.com.br

    ResponderExcluir
  36. Olá. Achei fascinante sua história, escrevi sobre ela no meu blog.
    Sorte, em todos os seus caminhos e escolhas.

    ResponderExcluir
  37. AMEI SUA ENTREVISTA COM A ANA MARIA HJ E DESEJO A TI TDO DE BOM E GOSTARIA DE LHE DIZER TB QUE TEMOS ALGO EM COMUM EU TENHO UM GRANDE AMIGO PORTUGUES/ANGOLANO QUE NESSA ALTURA TU AOS 17 ANOS E ELE COM MENOS DE DOIS ANINHOS A MÃE ATRAVESSOU A GUERRA COM ELE NOS BRAÇOS PRATICAMENTE SEM NADA TB, ELES FORAM PARA A CIDADE DO PORTO/PT ONDE VIVEM ATÉ HJ DEPOIS DE MTAS LUTAS E CLARO MTAS DIFICULDADES.
    PS: ELE INCLUSIVE TAS A CÁ NO BRASIL EM MINHA CASA E VIU TB SUA APRESENTAÇÃO E VAMOS PROCURAR A CÁ EM BH/MG SEU LIVRO SE NÃO ACHARMOS A CÁ ELE REGRESSARÁ AGORA EM JUNHO PARA O PORTO E COM CERTEZA IRÁ PROCURAR LA TB.

    BJOS E TDO DE BOM HJ E SEMPRE :)

    UM BJO GRANDE DELE E TDO DE BOM A TI E A TDOS OS SEUS!!!!!

    ResponderExcluir
  38. Olá Dulce, fiquei muito emocionada com sua história, gostaria muito de ler o livro, onde posso encontrar....
    Muito obrigada
    Bjs

    ResponderExcluir
  39. Olá Dulce!
    Consegui ver sua entrevista agora a tarde na reprise no canal viva. Foi muito legal te "conhecer" e também ver os seus pais. A gente fica curioso depois de ler o livro. Sucesso!

    Beijos,

    Regina Santi/Indaiatuba

    ResponderExcluir
  40. Acabei de ver, no MAIS VOCÊ, a matéria sobre Sabor de Maboque, da Dulce, levando-me à emoção com o drama sofrido por ela e toda a sua gente na Angola, antes de se instalar no Brasil.Quero adquirir o livro. Aplausos à Dulce pelo seu propósito de retornar ao seu país, como colaboradora na restauração daquilo que foi destruído pela guerra! Parabéns, Dulce e seja feliz HOJE TIVE A GRATA SATISFAÇAO DE VER A ENTREVISTA DE UMA LINDA E INTELIGENTE MULHER FALANDO SOBRE SEU PASSADO EM ANGOLA, DULCE TAVARES, REALMENTE FIQUEI EMICIONADO E ORGULHOSO TE TER EM NOSSO PAIS UMA PESSOA COMO VC , JA VOU SAIR A PROCURA DE SEU LIVRO CERTEZA sera uma leitura inesquecivel . PARABENS DE CORAÇAO

    baraldihelio@hotmail.com

    ResponderExcluir
  41. Olà Dulce!
    Pelo que vejo foi um êxito! Era de esperar...
    O mais compensador serão certamente estas mensagens portadoras de todas as emoções que desencadeaste . Estaràs certamente de coração retemperado e alegre!
    Andei à procura, mas como não aparecia indicação dele no site da Ana Maria, vinha agora confirmar se jà tinha passado e comprovo!
    Aiwé!!! Wtima wateka, teka!
    Um grande abraço!
    Sofia

    ResponderExcluir
  42. Mais uma vez parabéns Dulce, esse sucesso todo é mais do que merecido, a cada dia que passa, o Sabor de Maboque deixa de ser só seu e passa a ser um pouquinho de cada um que passou por esse horror que foi a guerra civil de Angola, é também uma homenagem para aqueles que como você venceu essa etapa difícil de vida e mais ainda para aqueles que não tiveram essa sorte.
    Mas quem lê o livro não pode deixar de destacar a coragem e o sucesso da estratégia de guerra que seu pai e seu tio tiverem em conseguir sair de Angola com 11 pessoas sãs e salvas, dando a todos um novo e feliz rumo de vida.
    A família Braga foi abençoada com a chegada dos Tavares a Campinas.
    PARABÉNS DULCE

    ResponderExcluir
  43. Re-Dulce!
    Jà vi tudo e também jà verti làgrimas! Jà mandei para as Angolanas e Angolanos que conheço! Que bom ver-te e ver esse rencontro com a Paula.
    Hà quanto tempo não via MABOQUES de perto...
    Que desejos!!!
    Sofia

    ResponderExcluir
  44. Ana Maria Corujo26 de maio de 2010 12:22

    OI Dulce,
    Também passei por tudo isso em 1975, só que não me lebro de muita coisa pois tinha 7 anos e acho que prefiro não lembrar.
    Meu pai era dono da única empresa de taxi aéreo a Aerangol, com sede em Luanda. Eu, pais e irmãos também viemos para o Brasil.
    Foi muito bom ver o Mais Você hoje e sentir no fundo do coração uma emoção muito grande, assim como você falou, coisas que não queriamos falar ou tentar esquecer, mas é bom reviver e ver que estamos bem. Minha mãe assistiu comigo e também se emocionou muito.
    Parabéns pelo livro,
    Ana Maria Corujo

    ResponderExcluir
  45. Dulce... outro dia pensava comigo a expressão "prazer em conhecê-lo(a)" quando somos apresentados a alguém que ainda sequer sabemos se trata-se de fato de um "prazer". Em relação a você não teria esta preocupação, "muito prazer em conhecê-la!". Me emocionei com o relato, e tentarei ler o livro o quanto antes. Parabéns por valer-se de sua condição e oportunidade para trazer a público esta história... assim que ler o livro, postarei algum comentário no meu blog. Um abraço.

    ResponderExcluir
  46. Olá Dulce .

    Soube de sua historia atraves do programa " Mais Voce " . Sensacional !
    Sou de Campinas , atualmente morando em Vinhedo e coincidentemente meu marido está com uma oportunidade de trabalho em Luanda. Estou animada mas ao mesmo tempo com medo por ser um pais ainda bem desconhecido para nós , nas questões de seu cotidiano. Terei um enorme prazer em ler sua obra . Vc é muito especial , doce e ao mesmo tempo nos passa uma imagem de guerreira . Um forte abraço....sucesso !
    Luciana C Andreghetto
    lucastelli77@hotmail.com

    ResponderExcluir
  47. Elisandra Santos26 de maio de 2010 15:02

    Olá Dulce, não vi toda a reportagem no Mais você, mas o pouco que eu vi, fiquei tocada o suficiente pra procurar por seu livro e presenteá-lo a minha sogra, também não vejo a hora de começar a ler o seu livro. Linda, sensacional história, pena não ter visto seu reencontro com a Paula. Um grande beijo pra você.

    ResponderExcluir
  48. Olá, assisti hoje o programa da Ana Maria e adorei sua história, como faço para adquirir o livro...

    ResponderExcluir
  49. Parabéns pelo livro Dulce!!!
    Me deu muita vontade de ler a sua história. Espero encontrar seu livro aqui em BH - MG. Precisamos sempre de exemplos de luta, fé e esperança. Beijos Carla Furtado Belo Horizonte - MG.

    ResponderExcluir
  50. Olá Dulce.Assisti uma parte de sua entrevista, hoje, ainda estava em Barbacena MG.Agora à noite,já em casa,acessei a internet e vi o inicio da reportagem.Fiquei emocionada com suas palavras, afinal é um pouco de nossa história também...Moro no Rio de Janeiro e, como vcs,minha familia passou por uma saga para sobreviver,quando chegamos ao Brasil em Nov/1975, depois de fazermos um "tour" por Namibia e África do Sul,em campos de refugiados etc., com a roupa do corpo e sem parentes no Brasil.Nasci no Cubal,perto de Benguela, e na época tinha 16 anos.O recomeço foi dificil, mas graças a Deus ficamos sempre unidos, nos fortalecemos.Sempre contei nossa história para meus filhos e meu marido, que sempre tiveram curiosidade.Lembro do sabor agri-doce do maboque, indescritivel.E também do fruto do imbondeiro...Vou comprar o livro e desde já te desejo muito sucesso....

    ResponderExcluir
  51. Desculpa, não me identifiquei. Meu nome é Alzira Resende.

    ResponderExcluir
  52. Ola Dulce braga, vi sua entrevista e me emocionei,pois vivi e trabalhei os ultimos 5 anos em Luanda. existe um site, criado por um fotografo angolano que reune cerca de 2600 fotografias, da flora ,fauna, etnias, e cidades de Angola antes da guerra, é só digitar o site: www.nossoskimbos.net e eu tenho em meu poder um video com fotos de luanda, musicado, com fotos, da restinga, mussulo, marginal, avenida dos combatentes, etc..., me contacte via email:mcav44@gmail.com, que terei o maior prazer em passar, e hoje logo pela manha pedi a minha esposa que fosse comprar o seu livro.
    Felicidades ecomo dizemos em kimbundo.mungueno.
    Cordiais saudaçoes
    Marcos Silva

    ResponderExcluir
  53. Parabéns pela exibição desta matéria, sou professora e apaixonada pela histórias da África e de Angola. Parabéns pelo livro e por nos trazer uma história tão cheia de emoção.
    Gélcina

    ResponderExcluir
  54. Parabens por sua historia de vida...
    Por sua familia e por tudo que vc representa ao seu povo, que tbem ê nosso povo.
    Que sejas feliz,

    AbraÇos
    Emilia Picado
    PS seu livro esta na minha lista de compras...

    ResponderExcluir
  55. Dulce assisti a sua entrevista no Mais Você e amei, também conhecia o seu livro através do Domingão do Faustão, porém gostaria que me informasse onde encontro para comprá-lo, pois muito interessou a leitura do seu livro, por fazer parte de uma história que às vezes fica camuflada quando contada por quem não viveu. Coordeno em um Município do Rio a Implementação da Lei 10.639/03 que inseri o ensino da cultura e história afro-brasileira e africana no currículo escolar. Em virtude disso vejo no seu livro um relato vivo do que aconteceu em Angola e não mera suposições.Sou Maria de Fátima e estou terminando uma Pós-graduação em África.

    ResponderExcluir
  56. Dulce, mais uma vez, parabéns pela bela e emocionante entrevista concedida à Ana Maria Braga, teu irmão me ligou hoje às 8:52 h, afobado, perguntando onde eu estava, se tinha uma TV por perto (logo pensei em mais uma catástrofe) pra mim assistir a tua entrevista, eu estava em casa e liguei a TV mas a entrevista já estava no fim, mas graças a Internet, eu a vi agora, na integra.
    Parabéns, saúde e sucesso !
    Do amigo, Feres Salim Jr.

    ResponderExcluir
  57. Ola dulce assistir sua ida ao programa da ANA MARIA BRAGA e fiquei emocionado, pq no ano de 1996 estive em kuito, cidade destruida pela guerra.Fui a serviço da ONU e longas noites que ali passei ficava pensando como as pessoas tinnha sobrevivido aquele terror que foi a guerra. Ficaria muito honrado se pudesse trocar fotos e falar mais sobre aquela terra. Parabens pela obra e que Deuste te

    ResponderExcluir
  58. Ola dulce Assistir SUA IDA AO Programa da Ana Maria Braga e fiquei emocionado, pq no ano de 1996 estive em Kuito, cidade destruida Pela guerra.Fui a Serviço da ONU e Longas Noites Que Passei ali Ficava Pensando Como as Pessoas tinnha sobrevivido Aquele terror que foi a guerra. Ficaria honrado se Pudesse trocar fotos e falar mais Sobre Aquela terra. Parabens Pela obra e Que Deus te abençoe.

    DAMIÃO NOBRE (nobreprec@yahoo.com.br)

    ResponderExcluir
  59. Dulce sou o Ribeiro,apartir d Angola desejo te d
    exictos na sua carreira,gostei da sua estoria,eu estou neste momento em Luanda,tbem vivi um tempo dificil no Bie.
    Gostaria d saber como nos iremos conseguir o seu livro apartir dAngola?j.ribeiro170@hotmail.com.

    ResponderExcluir
  60. oi, dulce eu sou a nadia madureira, e sou angolana vivo em luanda, gostei muito da tua historia principalmente em saber que tens muito orgulho em falar de angola, nao sou daquele tempo, vivi a guerra na minha terra, terra onde eu nasci onde perdi muita gente mais ainda assim tenho orgulho em ser angolana,infelismente as imagens que mostram sempre de angola sao sempre as mais tristes, temos muitos bairros pobres e a fome hoje ja nao e o grande motivo de morte no nosso pais,mais tambem temos uma angola bem mais bonita do que aquela que mostram muitas vezes na televisao e certo que nao devemos tapar o sol com a peneira, adorei a tua ideia em ajudar o povo angolano e de pessoas como vc que nos precisamos no nosso pais,o meu sonho e poder ajudar estas pessoas tambem, principalmente as criancas que sao o futuro de angola, e porque eu quero que o meu filho cresca num pais melhor, como o que tu viveste antes da guerra, um pais que eu nao tive a oportunidade de ver, gostaria de lhe mandar fotos de uma angola melhor de uma angola mais bonita mais alegre.
    pode responder no meu e-mail que e nadia_madureira@hotmail.com para eu saber como e que eu posso mandar as fotos e quem sabe combinarmos para lhe mandar assim os maboques. beijos e que deus lhe proteja a si e a esse coracao enorme que vc tem.

    ResponderExcluir
  61. Olá Dulce,
    Eu venho aqui porque leio o ESPUMADAMENTE e lá vi a entrevista , chorei muito ! Foram lágrimas boas e agora decidi deixar aqui os meus parabéns.
    Vou de certeza ler o livro e quando o fizer não deixarei de dar a minha opinião.
    Desejo-lhe muita, muita sorte.
    Muitos beijinhos

    ResponderExcluir
  62. Ó Dulce sensacional! Para quê comentários com esta grandiosidade, "O Sabor de Maboque" fez reviver e viver uma grandeza da humanidade que nada pode expremir só sentir com o coração.
    Achei graça ao teu pai ler o livro no seu canto, pois eu também fiz o mesmo só no meu canto, para rir e chorar, mas no fim a abundância de felicidade irradiou-me.
    Que belo abração aquele que deste a Paula até aqui senti...
    Olha cá espero por ti em Portugal um beijão ana
    Tuapandula

    ResponderExcluir
  63. Olá Dulce como vai? Assisti hoje ao programa mais você exibido no dia 26/Mai. e, achei muito bonita sua história de vida. Agora, espero poder ter a oportunidade de conhecê-la mais lendo o livro escrito por você e também conhecer um pouco mais do país onde também tive a oportunidade de visitar. Parabéns pela iniciativa do livro e pela pessoa que é. Quanto aos Maboques que a Ana Maria abriu, não se preocupe, vou procurar trazer mais através de um amigo que está em Angola. Forte Abraço !!

    ResponderExcluir